sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bled Island




Loucos e Santos


Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer,mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.

Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústiase aguentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.

Quero os santos,para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.

Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios,daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia não desapareça.

Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril. (Oscar Wilde)

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mãe



Você um dia sonhou comigo ... e me amou antes que eu existisse ; Você se alegrou com a minha chegada ao mundo , como alguém que recebe um lindo presente ; você me acolheu , me alimentou , me educou ...
Você acompanhou o meu crescimento ... e curtiu comigo a vida no dia a dia ...
Mãe , você é demais ...

Acredita no bem , na lealdade , na amizade .
De facto , os meus amigos são seus amigos . Você é exemplo de fé e esperança , que me dá muita força e coragem para vencer na vida .


Você foi a esposa dedicada , que faz sempre tudo por amor , os seus gestos de bondade , a sua prontidão em perdoar , a sua atitude sempre amável , enchem cada dia da minha vida de gratidão por você e num caloroso abraço , o meu coração lhe diz em oração :
Mãe, que Deus a abençoe e a proteja sempre , EU AMO-A ...

A minha priminha . . .


She ou E.L.A.

(1996- três anos antes da doença)

Uma das minhas músicas favoritas é "She", cantada pelo Charles Aznavour e sempre que falo na minha doença, apetece-me cantá-la...


Pois é... desde 1999 que convivo com E.L.A.!


Esclerose Lateral Amiotrófica
(Esclerose Lateral Amiotrófica significa, rigidez=esclerose, lateral porque geralmente ataca um dos lados primeiro e Amiotrófica porque provoca atrofia dos músculos. Na verdade o nome em si é um eufemismo porque com o tempo provoca a total paralisia do doente, incapacita a deglutição de alimentos e a capacidade de falar, por fim quando ataca os músculos respiratórios causa a morte do doente. A esperança de vida varia de individuo para individuo mas para mais de 60% dos doentes situa-se entre 2 a 5 anos. É talvez uma das doenças mais cruéis que existem porque o doente assiste impotente à semanal e progressiva perda das suas capacidades, sabendo que continua sem ser conhecida causa ou cura para a doença.)



Chamo-me Rosário Sarabando e desde Junho de 99 que convivo com uma doença neuromuscular.
É uma doença degenerativa, progressiva, rara, chamada Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A.). Se não fosse tão grave, até tinha um nome simpático… ELA!!!
Até ao nascimento do meu primeiro filho (planeado e muito desejado), tive uma vida normal.
Estudei (11ºano), trabalhei numa perfumaria, pratiquei exercício físico num ginásio (para não engordar) … e desfrutava os pequenos prazeres da vida (felizmente que assim foi)!
Até ao dia…
20 de Junho 1999
O momento tão ansiado tinha chegado…
Durante 9 meses em «estado de graça», ia finalmente conhecer o meu filhote!
Durante 9 meses eu imaginei aquele momento (o milagre da vida), no qual o bebe é posto em cima da barriga da mãe…
Mas isso não aconteceu…
O João nasceu de cesariana com anestesia geral!
Mas esta era apenas uma contrariedade… o pior estava para vir!
15 dias depois…
Já não dormia desde o nascimento do João…
As dores nos músculos trapézios eram tão fortes e tão intensas que não aliviavam com nenhum analgésico.
Passei por um ortopedista no SAP de Aveiro…
Os sintomas confundiam-se, afinal, eu tinha acabado de ter um filho!
3 Meses depois
O meu andar tinha-se modificado (andava como os patos).
Subir ou descer escadas, escovar os dentes, abotoar uma blusa, calçar-me… nada disto era mais tarefa fácil!
Passei por mais um ortopedista, fiz fisioterapia… e piorava de dia para dia!
Janeiro 2000 (7 meses depois)
Com bastante dificuldade ainda fazia tudo…
As quedas aumentaram de frequência. O cansaço era inexplicável. Os tratamentos de fisioterapia não estavam a resultar! Porquê?!?
O meu bebé precisava de mim!
O meu marido trabalhava por turnos e quando trabalhava de noite, eu dormia no chão da sala (o meu quarto ficava no 1ºandar). E, para conseguir levantar-me, precisava de apoio…
Então, estando no chão arrastava-me até à banca da cozinha… aí agarrava-me à banca e levantava-me para preparar o biberão para alimentar o meu filho.
Ainda conduzia e apesar da dificuldade ainda caminhava sem apoio.
Foi em Janeiro de 2000 que tive a 1ªconsulta de Neurologia, em Aveiro, com o Dr. João Ramalheira.
Fevereiro 2000 (8 meses depois)
2ªconsulta com o Dr. João Ramalheira.
Após os inconclusivos exames, o Dr. João Ramalheira, encaminha-me para o Serviço de Neurologia do Hospital de Sto António, no Porto.
Março 2000 (9meses depois)
Fico internada para exames… dolorosos exames!
Punção lombar, biopsia do musculo, electromiografia, ressonância magnética, entre outros.
Dia 16/03/2000 (9 meses depois)
Neste dia o Sol já não brilhava e o Céu já não era azul…
A minha vida tinha viajado (só com bilhete de ida) e não me tinha avisado!!
Eu tinha uma doença altamente incapacitante e incurável, a ELA!
A esperança de vida era de 3 a 5 anos… e agora?
O meu pequenino e o meu marido… precisavam de mim!
Eu queria ver o meu filho crescer!
Eu não tinha o direito de «prender» o meu marido ao meu lado! Com o meu coração apertadinho, dei-lhe liberdade de escolha! Ou optava por refazer a vida dele ou ficava comigo, tendo a consciência de que eu iria chegar à dependência total num curto espaço de tempo…
A resposta veio através de um…
- Chiiiiuuu!
O abraço que se seguiu, não precisou de palavras…
Os dados estavam lançados!
Apesar de eu estar confusa, fragilizada e magoada com esta valente partida que a vida tinha resolvido pregar-me, só me restavam duas alternativas: ou «carpia» a minha mágoa e revoltava-me infernizando a minha vida e a dos que me rodeavam, ou LUTAVA!!!
Optei pela 2ª… o meu filho e marido mereciam que eu o fizesse.
Um excerto (entre outros) do livro Maktub do Paulo Coelho não saia da minha cabeça.
Vou partilha-lo convosco…
«Milton Eriksson é o autor de uma terapia que começa a ganhar milhares de adeptos nos E.U.A. Aos doze anos de idade, foi vítima de poliomielite. Dez meses depois de contrair a doença, ouviu um médico dizer aos seus pais:
- O vosso filho não passa desta noite.
Eriksson ouviu, imediatamente, o choro da sua mãe. Quem sabe, se eu passar desta noite, ela talvez não sofra tanto pensou.
E decidiu não dormir até ao amanhecer.
De manhã, gritou para a mãe:
- Eh, continuo vivo!
A alegria em casa foi tanta que, a partir daí, resolveu resistir sempre mais um dia, para adiar o sofrimento dos pais.
Morreu aos 75 anos, em 1990, deixando uma série de livros importantes sobre a enorme capacidade que o homem possui para vencer as suas próprias limitações.»
Para adiar o sofrimento dos «Meninos dos Meus Olhos», não ‘durmo’ há 7 anos!
Maio 2000 (10 meses depois)
Uso uma bengala como apoio
Arrasto pelo chão a cadeirinha-auto do meu filho para conseguir levá-lo para o infantário
Setembro 2000 (15 meses depois)
Mudamos de casa, pois as escadas tornam-se muito perigosas para mim e para o João que tinha começado a andar
Da bengala passo para as canadianas
Deixo de conduzir
Ano 2001 (2 anos depois)
Das canadianas para o andarilho foi um passo
O medo de cair em cima do João faz-me entrar em pânico, mas não o demonstro
Durante a tarde uma senhora assegura as lidas domésticas (limpeza da casa e roupa) e eu com um esforço sobre-humano, estou a cozinhar o jantar (para o fazer, demoro a tarde inteira… pudera, com o andarilho atrás de mim!!!)
Das 18h às 20h uma ama dá banho e jantar ao João
Ano 2002 (3 anos depois)
A cadeira de rodas começa a fazer-me companhia, não a encaro como uma ameaça mas sim como um mal necessário… imaginem-me sem cadeira!!! Impensável!
A parte respiratória ainda não está comprometida, pelo que o meu filhote ouve tudo o que lhe digo com muita atenção!
O João começa a perceber que algumas vezes tem que ficar sozinho comigo durante a noite (o que lhe provoca insegurança), para que o pai vá trabalhar. Houveram episódios que, pela sua carga dramática, me fazem sofrer e por conseguinte não os quero reviver.
Ano 2003 (4 anos depois)
Enquanto eu fico mais dependente, o João fica mais independente…
As despesas com «mão-de-obra», começam a pesar e o «pé-de-meia» desaparece…
Depois de escrever uma carta à G.N.R., expondo todas dificuldades, o meu marido passa a trabalhar; ou das 7h às 13h ou das 13h às 19h
A ama do João vai embora porque o pai, agora e felizmente, assegura esse serviço (fica a Sra. da limpeza da casa e da roupa, de 2ª a 6ª)
Aos fins-de-semana, no entanto, o João continua sozinho comigo uma vez que o pai vai trabalhar e o infantário fecha
Ano 2004 (5 anos depois)
As despesas da empregada mais a prestação da casa são incomportáveis
O meu marido sob a minha orientação, assegura agora o serviço todo
A minha fala vem ficando bastante alterada
Sinto-me a ficar «trancada», completamente encarcerada no meu corpo
Ano 2005 (6 anos depois)
Foi um ano muito difícil… o meu marido anda esgotado! (é Homem!!!)
Agora passo muito tempo sozinha e nem sequer posso ler… folhear um livro, falar ao telemóvel, alimentar-me… não são mais actos banais… são impossíveis, para mim
Ambos ficamos cada vez mais fragilizados e esgotados, mas… cada vez estamos mais fortes e unidos!
O João entra na escola
A parte respiratória começa a ficar comprometida e só o meu marido me entende a falar
O «Pai Natal» traz-nos um computador e eu fico a OLHAR para ele, com tristeza por não conseguir «teclar» (pensava eu!)SETE ANOS E MEIO DEPOIS…
Janeiro: Afinal consigo «teclar»! O meu indicad0r esquerdo fica em cima do botão esquerdo do rato e o indicador direito fica em cima do botão direito do rato…
Instalam-me um teclado virtual. Nem dou pelo tempo passar! Navego na Internet, leio, organizo a minha casa e (muito importante para mim) comunico com o meu filhote que passa para o 2ºano e já lê muito bem
O objectivo (a curto prazo, porque a longo, aprendi que não vale a pena) a que me propus, foi atingido – ver o Mundial de Futebol – E CONSEGUI! O anterior tinha sido o Euro 2004
A parte respiratória agravou bastante. Durante a noite durmo ligada a um ventilador
Já me é bastante penoso movimentar o rato (até aqui, já estou a escrever há 8 dias)
O NOSSO DIA
6h15m
O Paulo levanta-se (quando entra às 7h)
Faz a higiene pessoal e toma o pequeno-almoço
6h 40m
Muda-me de posição na cama (durante a noite já o fez 3 ou 4 vezes)
6h 50m
Sai de casa (o posto da GNR fica a 300m de nossa casa, felizmente!)
*Eu e o João ficamos sozinhos a dormir até às…
8h 20m
O Paulo vem a casa levantar e preparar o João para ir para a escola
Muda-me de posição mais uma vez
8h50m
Depois de saboroso beijo e de um ADORO-TE verbalizado pelo João e mimado por mim através do piscar de ambos os olhos, o João sai para a escola que começa às 9h (a escola também fica a 300m, invejável, não?!?)
Eu fico sozinha até…
11h/11h15m
Depois dos homens da casa é a minha vez de fazer a minha higiene pessoal que é assegurada pelo Serviço de Apoio Domiciliário da SCM de Ílhavo
12h 30m+-
Hora e meia depois, tenho a higiene feita e o pequeno-almoço tomado
Passei do cansaço ligeiro à exaustão extrema (um dos sintomas da doença)
Agora é hora de ir ver como vai o mundo…
18 de Agosto de 2007
Decorridos nove meses… não posso terminar “O Nosso Dia “, porque tudo mudou!!!
Nove meses antes…
Natal de 2006
Parei de escrever “A minha história”…
Sinto-me muito fraca!!!
Janeiro e Fevereiro de 2007
Emagreci bastante…
Comer torna-se bastante cansativo, além da falta de apetite!
Mas o pior é que quase não consigo beber líquidos!
Estou desidratada e bastante fraca!!!!
3 de Março de 2007
Sinto – me muito mal … é-me bastante difícil respirar …
Neste dia instalam-me um programa de voz …
No dia seguinte, o meu marido estava a trabalhar e através do computador, peço ao meu filhote para telefonar ao pai e dizer que eu não estava bem (valeu-me o programa de voz instalado no dia anterior).
6 De Março de 2007 (internamento no HGSA no Porto)
Depois de vários e complicados contratempos…
O INEM achou que a minha dificuldade respiratória aliada à ELA, não justificava a sua presença e mandaram vir os bombeiros!
Os bombeiros foram incansáveis… a ambulância não tinha uma ficha onde se pudesse ligar o ventilador (Bip-Bap), que por sua vez não tinha autonomia…
Pediram uma ambulância a Aveiro (esta sim, com ficha!!) e levaram-me na cadeira de rodas, em peso, escada abaixo com o ventilador ligado a uma extensão. Desceram quatro andares!
Destino: Hospital Geral de Santo António!);
E… de
Agora sei que não tinha chegado a minha hora!!
Quando cheguei ao hospital, logo de seguida entrei em coma!
Ou fazia uma traqueostomia ou não sobreviveria… o meu marido optou pela primeira hipótese.
Depois dos cuidados intensivos (onde fui muitíssimo bem tratada), passei para o Serviço de Medicina D.
A Equipa Médica, de Enfermagem e Auxiliar foram extremamente fantásticas comigo… carinho, simpatia e profissionalismo amenizaram o meu sofrimento (e como sofri, meu Deus!!!) xxx
Quarenta e quatro longos dias de dores físicas (as menos importantes);
A dor da saudade do “Meu Moranguinho” (a mais importante e dolorosa repente tenho que enfrentar que estou muda!!
Nem um som sai da minha boca!
Ouço o meu moranguinho falar no telemóvel e “grito desesperada dentro da minha prisão: Amo-te tanto filhinho querido! Estou aqui por ti, pelo pai!!!”
Mas… ninguém me ouve!!!
Só eu!
Quarenta e quatro longos dias a repetir mentalmente…
“O tempo não pára!... “
“O tempo não pára!...”
“O tempo não pára!...”
E não parou!!!
Quando…
A meio do internamento me foi diagnosticado…
CANCRO DA MAMA!!!
Não adiantava chorar…
Não adiantava martirizar-me com a ideia de que tinha um cancro…
Não adiantava fazer-me de vítima…
NADA… por muito que eu desejasse, iria alterar e inverter esta e outras situações!!!
A única coisa que eu queria: não fazer sofrer o meu marido!
Escondi de todos durante algum tempo.Mas por muito que eu quisesse esconder, era impossível, uma vez que tinha consentido fazer uma Mastectomia! Acabei por desistir da ideia, estava farta de sofrer! Acabei por me entregar nas mãos de Deus…
A adaptação à minha nova condição foi extremamente dolorosa e difícil!!
Nada era mais como dantes…
- Eu não falava…
Logo não podia responder ao meu filhote!
Nem conversar com ele…
UM ABRAÇO APERTADINHO não era mais possível, devido ao ventilador e traqueostomia!!
- Eu não saboreava a comida nem fazia as refeições à mesa…
Tinha feito uma gastrostomia (um tubo directamente ligado ao estômago), agora as minhas refeições eram liquidas e através de uma seringa alimentar “enfiadas” directamente no estômago…
Logo, não participava nas refeições familiares (um dos meus prazeres favoritos).
- Eu estava demasiadamente fraca para estar muito tempo sentada…
Logo, podia comunicar muito pouco tempo… só o tempo que eu estava no computador! Mais ou menos quatro horas… e a partir daí regressava novamente ao meu cárcere, um muro invisível erguido à minha volta… eu ouço, eu vejo e eu sinto, mas, eu FALO e NINGUÉM me ouve!!!
- A higiene diária e pessoal passou de prazer a tortura…
A água que corria deliciosamente pelo meu corpo através do chuveiro dentro da banheira, foi substituída por um por um par de bacias com água…
O banho agora é-me dado na cama… Banho?!?
Nada, nada, nada me dava prazer!
Uma tristeza profunda invadiu todo o meu ser e eu só desejava partir!!!
Testemunhos disto são os emails que escrevi à minha médica e amigas …
----- Original Mensagem -----
From: Rosário Sarabando
To: Dra. Elga
Sent: Sunday, April 29, 2007 1:17 PM
Subject: Por favor ajude-me
Olá Dra. Elga!
Dentro do possível, estou bem!
Mas... nada é como antes...
Estes tubos sempre agarrados a mim dão comigo em doida!
Não consigo estar muito tempo no computador, porque me canso rápido...
Dantes estava o dia inteiro, conseguia fazer muita coisa...
Agora não consigo escrever durante muito tempo, fico extremamente cansada!
O que me fazia continuar deixou de existir...
Ou seja...
Ser parte activa na educação do meu filhote... e da minha casa!
A falta de comunicação enlouquece-me!
Se eu não estiver no computador fico trancada no meu corpo!
E é muito difícil viver com traqueostomia... nunca pensei!
Já não é viver é sobreviver...
Por favor, ajude-me a morrer!
Todos os dias pela manhã, apetecia-me não ter acordado...
Viver passou a ser uma tortura...
Para cada movimento, preciso de ajuda...
Não como à mesa com os meus homens... nem saboreio a comida
Não consigo comunicar em tempo real... olho à minha volta e estou mais encarcerada do que nunca.
Estou desesperada! Por favor diga-me o que pode fazer por mim.
Por favor ajude-me… Beijinhos
Rosário Sarabando”
E esta foi a resposta...
"Rosário
Compreendo que a adaptação à nova situação seja muito difícil.
Contudo, a sua presença continua a ser importante para o seu filho e para o seu marido e estou certa que eles compreendem e aceitam.
Os motivos que a faziam continuar são os mesmos, quem mudou foi a Rosário. Contudo, continua a comunicar e estas mensagens são prova disso.
Pense nisto.
Beijos
Elga"
Um outro e-mail enviado à minha ex-fisioterapeuta e grande amiga, Ana Meirelles…
From: Rosário Sarabando
To: Ana Meireles
Sent: Friday, May 04, 2007 6:16 PM
Subject: ajude-me com os seus sábios conselhos...
D.Ana Maria
Como está?
Vou ver se consigo escrever durante algum tempo... o que está muitíssimo difícil!
Não consigo levantar o meu astral! E sabe Deus como tento...
Todos as manhãs desejo não ter acordado...
Estou a dar imenso trabalho para justificar a minha qualidade de vida... não consigo encontrar motivos que me deixem continuar...
O meu filho e o meu marido são dois bons motivos mas...
Já não consigo dar – lhes nada excepto trabalho e presença... e isso para mim não chega!
Acredite que estou a sofrer muito!
Por favor D.Ana Maria ajude-me com os seus sábios conselhos...
Beijinhos
Rosário Sarabando
Eis a resposta!
----- Original Mensagem -----
From: Ana Meireles
To: Rosário Sarabando
Sent: Saturday, May 05, 2007 1:24 PM
Subject: Coragem!
Olá Rosário!
Fiquei confrangida com a sua mensagem. Quem me dera ter o poder de a aliviar no seu sofrimento! Compreendo-a tão bem... toda a vida lidei com as deficiências e as limitações das outras pessoas e me dediquei a minorar as suas incapacidades.
Que fazer no seu caso? Há uma frase muito portuguesa que diz que o que não tem remédio remediado está. Quando não está na nossa mão o remédio para o nosso sofrimento temos de aprender a lidar com isso, o que não é nada fácil. Temos de aprender a aceitar e manter a calma nos momentos mais difíceis. A Rosário tem fé, sabe que Cristo a espera para lhe dar a recompensa por tudo o que está a passar, mas... é preciso não deixar que a revolta se apodere de si, diga baixinho para si que Cristo sofreu tanto...e era inocente, enquanto que nós não somos perfeitos, temos sempre algo para pedir perdão. Ofereça o seu sofrimento a Deus não só para perdão de algumas imperfeições suas, mas também pelos pecados de todos nós. Vai ver que isso vai dar algum sentido ao que está a passar.
Por outro lado, há que agradecer. Quantas pessoas amigas se têm manifestado disponíveis para a ajudar! E já não falo do Paulo, que se tem excedido nas suas habilidades para se adaptar à situação. E que apesar de todo o trabalho não quer encarar o dia que vai ter de passar sem si! Por ele, pelo João, tem de ser forte, e pensar que só lhe é pedido para se manter viva, pelo seu amor! Algum momento de desabafo do Paulo, só reflecte o cansaço de quem não tem uma noite de descanso completo.
Falei com a Rosa. Sei que os fins de dia são os momentos mais críticos. Hoje vou passar por aí por volta das 18 horas para ver o que é preciso. Tenho de ir à Missa às 19 porque amanhã vou passar o dia com o meu sogro, estamos “de serviço”.Mas depois da Missa vou outra vez aí para ajudar o Paulo nos cuidados que a Rosário precisa. Sei que a Ana não está e que a Rosa tem doces para fazer, então vou eu ajudar. Diga isto ao Paulo para ele gerir as tarefas.
Não quis deixar de lhe mandar esta mensagem, vá reflectindo e se tiver algo para me dizer escreva ou vamos até ao computador quando aí estiver.
Beijinhos da sua sempre Amiga
Ana Maria Meireles
Eu queria LEVANTAR_ME e não conseguia…
Até que uma oração e o 8ºaniversário do meu filhote me ajudaram a seguir em frente…
A ORAÇÃO…
“QUANDO TUDO PARECE PERDIDO”
Quando tudo parece perdido,E a esperança desaparece,Procure por mim, Estou a teu lado,Embora não me vejas.Quando lágrimas,Insistirem em cair de teus olhos,Lembra do sangue que derramei,Para que fosses feliz,
Quando o desejo de morrer,Tomar conta de teu ser,Lembra que tua morte será em vão,Eu morri para salvar os homens,E mesmo assim não consegui.Eu tenho meu tempo,Eu sou dono da vida e da morte,E só morrerás em meu tempo,
Quando tudo parecer breu,Os desamores,As descrenças,As desesperanças,Insistirem em tomar conta,De teu coração,Me busca, nunca abandoneiQuem de mim precisa,E não serás tu, que confias em mim,Que deixarei desamparada(o),
Vamos coloque um sorriso,Nesse rosto,Erga a cabeça e siga em frente,Logo, logo, sentirás minha presença,E tudo se resolverá.
Tristezas, não cabem em meu mundo,E se te provo em coisas da vida,É porque sei, Tens força suficiente,Para enfrenta-las. Eu sou teu Deus,Jamais te abandonarei... Portanto filha (o),Espera, e confia... Em meu tempo...Tudo resolverei. Entrega-te a mim sem medo...
Pai nenhum deste mundo,Abandona um filho,Aceite então as provações a que te submeto,Estas só servirão, para engrandecer teu espírito,E te tornares, Mensageira(o) de minhas palavras,e de meus atos em tua vida.Será testemunha viva,Do meu poder, E do meu amor,Por aqueles que confiam em mim!
“Eu sou a luz do mundo, aquele que me segue jamais andará nas trevas.”
EU TE AMO!
Jesus Cristo
Este email enviado à minha médica e Amigos são o testemunho e o resumo da minha Luta e da minha Vitória (depois de muito sofrimento)
----- Original Mensagem -----
From: Rosário Sarabando
To: Dra. Elga
Sent: Monday, July 02, 2007 7:11 PM
Dra. Elga
Finalmente estou de volta!!!
Já me adaptei à minha nova condição... foi difícil, mas consegui "levantar-me "!
Graças ao amor do meu marido e filhote complementado pela dedicação dos grandes amigos que tenho a sorte de ter... a minha "obrigação " era e é LUTAR !!!!
A minha cuidadora é fantástica... sinto – me bem e a minha ansiedade em relação ao ventilador passou... consigo estar sem ele mais ou menos quatro horas seguidas!
Durmo toda a noite, e acordo agradecendo a Deus todas as bênçãos que tenho recebido!!!!!
Pelo oitavo aniversário do meu filhote (veja fotografias que mando em anexo) senti remorsos por querer partir...a alegria dele ao apresentar-me aos amiguinhos foi imensa...
Mas o importante é que estou de volta e para ficar!!!
Obrigada por tudo Dra. Elga...
Beijinhos à Equipa de Enfermagem e Médica
E para a Dra. Elga um beijinho muito especial
Rosário Sarabando
A resposta…
----- Original Mensagem -----
From: Elga Freire
To: Rosário Sarabando
Sent: Thursday, July 05, 2007 7:02 AM
Rosário
Foi com muita alegria que li o seu mail e vi a fotografia da família.
A Rosário e a sua família são um exemplo de coragem e amor.
Para mim é um privilégio poder compartilhar um pouco da vossa vivência.
Beijinhos
Elga
Quando finalmente venci, tudo voltou a ser como antes, com duas diferenças…
Mais força
Mais vontade de Viver
Agora, passado um ano depois de ter sido internada…
Oriento, através do computador, a minha casa…
As refeições…
O meu filhote…
Faço questão que tudo passe por mim…
A escolha da minha roupa é e sempre foi feita por mim…
“Os Meninos dos Meus Olhos” são orientados por mim…
Estou VIVA!!!
Sinto-me Abençoada!!!
Sinto-me rodeada de Amor e Carinho!!! Pelos meus dois Amores e pelos meus Grandes Amigos!!!
Apesar de tudo, sou muitíssimo Feliz…
Assisti e orientei a Primeira Comunhão do meu filhote…
Quero e vou assistir ao 9º Aniversário dele …
Amanhã é outro dia… Objetivo???
QUERO VER O MEU FILHO CRESCER!!!
1

Publicada por Rosarinho em 4:37 PM

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Um pai de papel !



Durante seis anos , nunca vi o meu pai ! Aliás , via-o em fotografias que ele nos enviava , de tempos a tempos ! Também nós , de quando em quando , íamos a Aveiro , ao Henrique Ramos , tirar fotografias , para lhe enviar , pois ele fazia questão ! Também me recordo de a minha mãe nos medir a altura , com um fio , que depois enviava ao meu pai , numa das cartas , para que ele fosse acompanhando o nosso crescimento .
Tinha assim , um "pai de papel" !
Mas , como eu me recordo muito bem , de dizer , "bastas vezes" :
EU QUERO UM PAI DE CARNE . . . NÃO UM PAI DE PAPEL ! ! !

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

(Fernando Pessoa)

Indios do Brasil - Estavam aqui 2mil anos antes de Cristo... ..foram dizimados em 200 anos........

Pode , priminha ?



É verdade priminha , o meu pai foi assassinado !
No dia em que soube da morte dele , chorei ; não de tristeza , mas de raiva e . . . revolta ; nesse dia , morria também a esperança , que eu sempre alimentara , de , um dia , vir a ter . . . um pai "a sério" , de carne e osso !
Tu sabes que eu nasci em Março de 1955 , mas não sabes que o meu pai emigrou para o Canadá , no mês seguinte , em Abril do mesmo ano ; claro que não sabes !
Até 1992 , ano em que foi encontrado morto , vivi com o meu pai , 8 a 9 meses , na melhor das hipóteses , tudo somado , e somando mesmo todos os segundinhos !
Tu sabias que nesses 37 anos , o meu pai nunca passou um Natal connosco ?!?!?!
Pode , priminha ?

domingo, 26 de dezembro de 2010

Sharitarish - Pawnee

O governo de Washington , temendo a forte oposição das tribos índias à sua intenção de se expandir para o oeste , decidiu convidar alguns líderes dessas mesmos tribos para visitar as cidades mais importantes e conhecer o Presidente James Monroe . Na tentativa de os impressionar , receberam-nos com uma cerimónia sumptuosa onde lhes mostraram todo o seu poderio militar , e lhes ofereceram presentes . Quem não se deixou perturbar por esta recepção foi Sharitarish , chefe Pawnee , cujas palavras dirigidas ao Presidente e ao secretário de guerra , John Calhoun , aqui transcrevemos .

Meu Grande Pai : viajei uma grande distância para te ver _ vi-te e o meu coração regozija-se . Ouvi as tuas palavras _ elas entraram por uma orelha e não escaparão por outra , e hei-de levá-las ao meu povo tão puras quanto saíram da tua boca .
Meu Grande Pai . . . se eu agora estou aqui e vi o teu povo , as vossas casas , os vossos barcos no grande lago , e muitas grandes coisas maravilhosas que estão para além do meu entendimento , e que parecem ter sido feitas pelo Grande Espírito e postas nas vossas mãos , estou em dívida para com o meu Pai (Major Benjamim O'Fallon) aqui presente , que me convidou para aqui vir , sob cujas asas encontrei protecção . . . mas há ainda outro Grande Pai com quem estou muito mais em dívida _ o Pai de todos nós . . . O Grande Espírito fez-nos a todos _ fez a minha pele vermelha , e a vossa branca ; pôs-nos nesta terra e entendeu que deveríamos viver cada um de uma forma diferente .
Criou os brancos para cultivar a terra e alimentar-se de animais domésticos ; mas a nós , peles vermelhas , criou-nos para deambular através das florestas selvagens e das planícies ,
para que nos alimentássemos de animais selvagens e vestíssemos as suas peles .
Ele também determinou que fôssemos para a guerra _ retirar escalpes , roubar cavalos e triunfar sobre os nossos inimigos _ e cultivássemos a paz em casa , e promovêssemos a felicidade de cada um .
Meu Grande Pai : alguns dos vossos bons chefes , tal como são chamados (missionários) propuseram-se mandar algumas das suas boas pessoas para junto de nós , para modificar os nossos hábitos , fazer-nos trabalhar e viver como os brancos . . . Vós amais a vossa terra _ vós amais a vossa gente _ gostais do modo como vivem , e pensais que a vossa gente é corajosa . Eu sou como tu , meu grande Pai , amo a minha terra _ amo a minha gente e o meu povo _ gosto do modo como vivemos , e penso que eu e os meus guerreiros somos corajosos . Poupa-me então , meu Pai , deixa-me desfrutar da minha terra , eu negociarei as peles com a vossa gente . Cresci e vivi sem trabalhar até agora _ tenho esperança que consentirão que morra sem trabalhar . Temos em abundância , búfalos , castores , veados e outros animais selvagens _ temos abundância de cavalos _ temos tudo o que queremos _ temos terra que chegue , se vós mantiverdes a vossa gente fora dela . . .
Houve um tempo em que nós não conhecíamos os brancos _ as nossas necessidades eram então menores do que agora . Estavam totalmente sob o nosso controle _ até então não tínhamos visto nada que não pudéssemos conseguir . Antes da nossa convivência com os brancos , que causaram uma enorme destruição na nossa caça , podíamos deitar-nos a dormir e ao acordar podíamos ver os búfalos a pastar em redor do nosso acampamento _ mas agora estamos a matá-los por causa das suas peles , e a alimentar os lobos com a sua carne , e a fazer com que os nossos filhos chorem sobre os seus ossos .
Meu grande Pai , aqui está um cachimbo com que te presenteio tal como tenho o costume de presentear todos os peles vermelhas que vivem em paz connosco . Está cheio da espécie de tabaco que costumávamos fumar antes de conhecer os brancos . É agradável e cresce espontâneamente nas partes mais remotas da nossa terra . Eu sei que as roupas , calças de couro , mocassins , garras de urso , etc . ,têm pouco valor para ti , mas desejamos que sejam depositadas e preservadas num lugar distinto da tua casa , e assim quando nós já tivermos partido e a terra tiver coberto os nossos ossos , se os nossos filhos visitarem este lugar , tal como o fazemos agora , eles possam observar e reconhecer com prazer o espólio dos seus pais ; e reflectir sobre os tempos que passaram .

Feliz Natal , Alexandre !

sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal, e não Dezembro .


Entremos, apressados, friorentos,

numa gruta, no bojo de um navio,

num presépio, num prédio, num presídio,

no prédio que amanhã for demolido...

Entremos, inseguros, mas entremos.

Entremos e depressa, em qualquer sítio,

porque esta noite chama-se Dezembro,

porque sofremos, porque temos frio.



Entremos, dois a dois: somos duzentos,

duzentos mil, doze milhões de nada.

Procuremos o rastro de uma casa,

a cave, a gruta, o sulco de uma nave...

Entremos, despojados, mas entremos.

De mãos dadas talvez o fogo nasça,

talvez seja Natal e não Dezembro,

talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira, Cancioneiro de Natal
Eu aprendi...
...que ignorar os factos não os altera;

Eu aprendi...
...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu aprendi...
...que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;

Eu aprendi...
...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;

Eu aprendi...
...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu aprendi...
...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.

Eu aprendi...
...que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;

Eu aprendi...
...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;

Eu aprendi...
...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;

Eu aprendi...
...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Qual o burro ?

Uma das coisas que ganhámos com o 25/Abril/1974 , foi o direito de escolhermos os nossos governantes , em eleições livres !
Vem isto a propósito de uma notícia que li hoje , na primeira página do "expresso" que aludia a uma sondagem que "dava" 60% dos votos ao actual P.R.(Cavaco Silva) e 30% a Manuel Alegre !
Este povo , desmemorizado e descerebrado , tem , pois , aquilo que merece ! Não se pode queixar . . .
Sabem qual é a diferença entre o povo português e aquele animalzinho orelhudo e simpático , a quem chamam "burro" ?
A diferença está , precisamente . . . no olhar inteligente do burro ! ! !
Mas se quiserem dizer que o burro sou eu , claro que não tomarei isso como um insulto , antes o receberei como . . . um elogio !
Um bom ano de 2011 , para todos .

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Merry Christmas

Monarchy Vs Republic

A mais pura das verdades . . .

O nosso mundo tornou-se , de facto , muito complexo ! Em certos casos , não é fácil traçar uma fronteira entre o "justo" e o "injusto" . . .

Deixem-me ver se entendo . . .

Se atravessares a fronteira da Coreia do Norte ilegalmente , és condenado a 12 anos de trabalhos forçados .
Se atravessares a fronteira iraniana ilegalmente , és detido sem limite de prazo .
Se atravessares a fronteira afegã ilegalmente , és alvejado .
Se atravessares a fronteira da Arábia Saudita ilegalmente , serás preso .
Se atravessares a fronteira chinesa ilegalmente , nunca mais ninguém ouvirá falar de ti .
Se atravessares a fronteira venezuelana , serás considerado um espião e o teu destino está traçado .
Se atravessares a fronteira cubana ilegalmente , serás atirado para dentro de um navio para os E.U.A.

MAS . . . Se entrares por alguma fronteira da União Europeia ilegalmente ,

TERÁS :
Um abrigo . . .
Um trabalho . . .
Carta de Condução . . .
Cartão Europeu de Saúde . . .
Segurança Social . . .
Crédito Familiar . . .

Cartões de Crédito . . .
Renda de casa subsidiada ou empréstimo bancário para a sua compra . . .

Escolaridade gratuita . . .
Serviço Nacional de Saúde gratuito . . .
Um representante no Parlamento . . .
Podes votar , e mesmo concorrer a um cargo público . . .
Ou mesmo fundares o teu próprio partido político !

E por último , mas não menos importante , podes manifestar-te nas ruas e até queimar a nossa bandeira , e

SE EU TE QUISER IMPEDIR , SEREI CONSIDERADO RACISTA ! . . . . .

SEM DÚVIDA QUE PARECE IRREAL , MAS É A MAIS PURA DAS VERDADES ! ! !

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

T.P.C. Trabalho de casa

Eu não penso que exista alguém com competência , ou mesmo , que esteja na disposição de fazer o nosso "trabalho de casa" ! Esse trabalho compete-nos a nós próprios !
Por isso , este ano , não vou pedir pela paz no mundo , por saúde , ou por mais justiça social , etc , etc , etc . . .
Se cada um de nós fizer aquilo que lhe compete ( o nosso T.P.C .) , tudo isso se conseguirá , e , com a maior das simplicidades ! Basta que cada um de nós , se respeite a si próprio , respeite o seu vizinho , respeitando sempre , também , o seu habitat natural ! Só essas três coisinhas . . . tão simples !
Se cada pessoa varrer a rua , em frente à sua própria casa , toda a via pública ficará limpa !
É esta mensagem que eu quero deixar , neste final de ano . Façamos do próximo ano , o ano da mudança . . . de mentalidades , para que um dia , os vindouros se orgulhem , um pouquinho , de nós !
Aquele abraço amigo .

domingo, 19 de dezembro de 2010

Seattle - Dwamish


Em 1854 , Seattle , chefe da tribo Dwamish , fez um dos discursos mais belos e profundos sobre o valor da Terra ao Governador de Washington , Isaac Stevens , na apresentação dos termos do tratado que previa a venda de uma grande extensão de território índio aos americanos , sob a promessa de uma reserva para o povo indígena e outras ajudas .

Como se pode comprar ou vender o firmamento , ou ainda o calor da terra ?
Tal ideia ainda é um mistério para nós .
Se não somos donos da frescura do ar nem do fulgor das águas , como podereis vós comprá-los ?
Cada quinhão desta terra é sagrado para o meu povo .
Cada reluzente floresta de pinheiros , cada grão de areia nas praias , cada gota de orvalho nos escuros bosques , cada outeiro e até o zumbido de cada insecto é sagrado para a memória e para o passado do meu povo . A seiva que corre nas veias das árvores leva juntamente consigo a memória dos Peles Vermelhas .
Os mortos do Homem Branco esquecem-se do seu país natal quando empreendem as suas viagens pelo meio das estrelas ; ao contrário , os nossos mortos nunca podem esquecer-se desta bondosa terra pois ela é a mãe dos Peles Vermelhas .
Somos parte da Terra e do mesmo modo ela é parte de nós próprios . As flores perfumadas são nossas irmãs , o veado , o cavalo ,a grande águia são nossos irmãos ; as rochas escarpadas ,os húmidos prados , o calor do corpo do cavalo e do homem , todos fazemos parte da mesma família.
Por todas estas razões , quando o Grande Chefe de Washington nos faz chegar a mensagem de que quer comprar as nossas terras , está a pedir-nos demasiado . O Grande Chefe , diz-nos também , que nos reservará um lugar em que possamos viver confortavelmente uns com os outros . Ele passará , então , a ser o nosso pai e nós os seus filhos . Por este motivo , ponderaremos a sua oferta de comprar as nossa terras . Isto não será fácil , uma vez que esta terra é sagrada para nós .
A água cristalina que corre nos rios e ribeiros não é apenas água : simboliza também o sangue dos nossos antepassados .
Se vos vendermos a terra , devereis recordar-vos que ela é sagrada e , ao mesmo tempo , ensinar aos vossos filhos que ela é sagrada e que cada reflexo nas límpidas águas dos lagos narra os acontecimentos e memórias das vidas das nossas gentes .
O murmúrio da água é a voz do pai do meu pai .
Os rios são nossos irmãos e saciam a nossa sede ; são sulcados pelas nossas canoas e alimentam os nossos filhos . Se vos vendermos a terra , devereis recordar-vos e ensinar aos vossos filhos que os rios são nossos irmãos e , do mesmo modo , também são seus irmãos , e que , portanto , devem cuidar deles com a mesma doçura com que se cuida de um irmão .
Sabemos que o Homem Branco não compreende o nosso modo de vida . Ele não sabe distinguir um pedaço de terra de outro , porque ele é um forasteiro que chega de noite e retira da terra o que necessita . A terra não é sua irmã , mas sim sua inimiga e , uma vez conquistada , ele prossegue o seu caminho , deixando atrás de si a sepultura de seus pais , sem se importar com isso !
Rouba a terra aos seus filhos : também não se preocupa ! Tanto a sepultura dos seus pais como o património dos seus filhos são esquecidos . Trata a sua mãe , a Terra , e o seu irmão , o Firmamento , como objectos que se compram , se exploram e se vendem da mesma forma que se vendem ovelhas ou contas coloridas . O seu apetite devorará a terra deixando atrás de si apenas o deserto .
Não compreendo , mas a nossa maneira de viver é diferente da vossa . Só de observar as vossas cidades entristecem-se os olhos do Pele Vermelha . Mas talvez seja porque o Pele Vermelha é um selvagem e não percebe nada .
Não existe um lugar tranquilo nas cidades do Homem Branco , não há sítio onde escutar como desabrocham as folhas das árvores na Primavera ou como esvoaçam os insectos .
Mas talvez isto também suceda porque sou um selvagem que não compreende nada . Basta o ruído para insultar os nossos ouvidos . Depois de tudo , que interesse tem a vida se o homem não puder escutar o grito solitário do noitibó nem o coaxar nocturno das rãs nas margens dum charco ? Sou Pele Vermelha e nada entendo . Nós preferimos o suave sussurrar do vento sobre a superfície dum charco , assim como o cheiro desse mesmo vento purificado pela chuva do meio-dia ou perfumado com o aroma dos pinheiros .
O ar tem um valor inestimável para o Pele Vermelha , uma vez que todos os seres partilham um mesmo fôlego - o animal , a árvore , o homem , todos respiramos o mesmo ar .
O Homem Branco não parece estar consciente do ar que respira ; tal como um moribundo que agoniza durante muitos dias é insensível ao mau cheiro . Mas se vos vendermos as nossas terras , devereis recordar-vos que o ar é , para nós , precioso , que o ar partilha o seu espírito com a vida que mantém . O vento , que deu aos nossos avós o primeiro sopro de vida , também acolhe os seus últimos suspiros . E , se vos vendermos as nossas terras , devereis preservá-las como coisa à parte e sagrada , como um lugar onde até o Homem Branco poderá deleitar-se com o vento perfumado pelas flores das pradarias .
Por tudo isso , consideraremos a vossa oferta de comprar as nossas terras . Se decidirmos aceitá-la , eu estabelecerei uma condição : o Homem Branco deverá tratar os animais desta terra como seus irmãos .
Sou um selvagem e não compreendo outro modo de vida . Tenho visto milhares de bisontes a apodrecer nas pradarias , mortos a tiro pelo Homem Branco , da janela de um comboio em andamento .
Sou um selvagem e não concebo como é que uma máquina fumegante pode ser mais importante que o bisonte que nós só matamos para sobreviver .
Que seria do homem sem os animais ? Se todos fossem exterminados , o homem também morreria de uma grande solidão espiritual . Porque o que suceder aos animais também sucederá ao homem . Tudo está ligado .
Deveis ensinar aos vossos filhos que o solo que pisam é formado pelas cinzas dos nossos avós . Ensinai aos vossos filhos que a terra está enriquecida com as vidas dos nossos semelhantes , para que saibam respeitá-la . Ensinai aos vossos filhos aquilo que nós temos ensinado aos nossos , que a terra é nossa Mãe . Tudo quanto suceder à terra sucederá aos filhos da terra . Quando os homens cospem na terra , estão a cuspir em si próprios .
De uma coisa estamos certos : a terra não pertence ao homem ; é o homem que pertence à terra . Isto sabemos . Tudo está ligado , como o sangue que une uma família . Tudo está ligado . Tudo o que acontece à terra acontecerá aos filhos da terra . O homem não teceu a rede da vida , ele é só um dos seus fios .
Aquilo que ele fizer à rede da vida , ele fará a si próprio .
Nem mesmo o Homem Branco , cujo Deus passeia e fala com ele de amigo para amigo , fica livre do destino comum .

POR FIM TALVEZ SEJAMOS IRMÃOS .

Veremos isso . Sabemos uma coisa que talvez o Homem Branco descubra um dia : o nosso Deus é o mesmo Deus . Vós podeis pensar nesta altura que Ele vos pertence , do mesmo modo como desejais que as nossas terras vos pertençam ; porém não é assim . Ele é o Deus dos homens e a Sua compaixão reparte-se por igual entre o Pele Vermelha e o Homem Branco . Esta terra tem um valor inestimável para Ele , e , se a destruirmos isso provocará a ira do Criador . Também os Brancos se extinguirão um dia , talvez antes que as demais tribos . Contaminai os vossos leitos e uma noite morrereis afogados nos vossos próprios detritos .
Contudo , vós caminhareis para a vossa destruição repletos de glória , inspirados pela força do Deus que vos guiou a esta terra e que , por algum desígnio superior , vos deu o domínio sobre ela e sobre os Peles Vermelhas . Esse destino é um mistério para nós , pois não percebemos porque se exterminam os bisontes , se domam os cavalos selvagens , se saturam os mais escondidos recantos dos bosques com a respiração de tantos homens e se mancha a paisagem das exuberantes colinas com os fios do telégrafo . Onde se encontra o matagal ? Destruído ! Onde está a águia ? Desapareceu !

TERMINA A VIDA E COMEÇA A SOBREVIVÊNCIA !


Alerta sobre a mamografia - Diana Hunt

A televisão americana mostra jovens que planejam fazer uma mamografia, mas estão sempre muito ocupadas. O narrador insiste que é preciso achar tempo necessário “porque a mamografia detecta tumores e salva vidas — até 91%”. Ao final do que parece ser um anúncio de saúde pública, o logotipo da General Eletric aparece na tela. A GE é uma das mais de vinte companhias que fabricam e vendem aparelhos de mamografia. O exame foi criado para confirmar ou descartar o diagnóstico médico. Entretanto, tornou-se uma máquina de fabricar dinheiro, usado em mulheres saudáveis que não apresentam qualquer sintoma de doença da mama.

Em 1975, eu trabalhava como vendedora de um fabricante de aparelhos de raios X, quando este introduziu seu primeiro mamógrafo. O gerente de marketing explicou as características do aparelho e recomendou que procurássemos vender uma unidade para cada hospital, clínica, obstetra ou clínico geral da região. Devíamos instruir os médicos a incentivar suas clientes a vir uma vez por ano para uma mamografia. Ele queria também que ensinássemos os médicos a calcular quantas pacientes precisavam radiografar por dia para amortizar o custo do aparelho.

Fiquei chocada e protestei, dizendo que a mamografia seria útil para quem tivesse algum sintoma de problema de mama, mas que a mulher sem sintomas não iria querer fazer exame periodicamente. E todo ano? Os médicos jamais recomendariam, devido às altas doses de radiação!

Mas eu estava errada. Os médicos não sabiam — ou não se importavam — com a quantidade de radiação que suas pacientes recebiam. As doses de radiação são depreciadas e tanto os médicos quanto os fabricantes de aparelhos de raios X e filmes insistem para que se faça o exame anualmente — em parte devido aos milhões de dólares envolvidos.

O nível de radiação absorvido pelo corpo a cada exame não é baixo. Os profissionais que executam os exames nem sempre são bem treinados. Às vezes, o equipamento não está bem instalado ou em boas condições e como, muitas vezes, a mamografia é interpretada incorretamente, falsos diagnósticos são comuns. A importância dada à mamografia nos últimos anos é prejudicial às mulheres: ela provoca uma falsa sensação de segurança (desde que faça anualmente a mamografia, que detecta o câncer antes que se espalhe, a mulher se julga a salvo) ou provoca medo de morrer (se não se submeter ao exame a cada ano). A classe médica promove o “diagnóstico precoce” mas não coloca muita ênfase na prevenção.

O que é uma mamografia?
A mamografia é uma radiografia especializada que mostra o contraste entre o tecido normal e tumores, que são mais densos e aparecem como sombras. Descobrir diferenças no tecido da mama é mais fácil do que discernir um contraste entre tecido e ossos. Infelizmente, é necessário usar uma dose maior de radiação para expor variações de tecido da mama do que para outras partes do corpo.

É preciso reconhecer o valor da mamografia, desde que executada por um radiologista competente, com equipamento em perfeitas condições, e se a chapa for revelada em câmara escura moderna com soluções frescas. O radiologista experiente, ao examinar uma radiografia bem tirada, geralmente pode dizer se a sombra representa um tumor canceroso. Para a mulher que apresenta sintomas físicos de câncer da mama, os benefícios da mamografia são maiores do que os riscos.

Radiação
Há alguns anos, meu médico sugeriu que fizesse uma mamografia como parte do exame físico de rotina. Disse-lhe que era radiação demais para alguém que não apresentava nódulos, sintomas ou histórico de câncer da mama na família. Quando ele disse que a dose de radiação era insignificante, perguntei qual a dose exata. Ele não tinha a mínima idéia. Um ano depois mudei de bairro e escolhi outro médico. Este não só sugeriu que fizesse uma mamografia, como tinha na sala de espera um grande aviso recomendando às mulheres que se submetessem anualmente a uma mamografia. Quando perguntei por que os médicos insistiam tanto para que mulheres perfeitamente saudáveis fizessem exame radiológico, ano após ano, ele citou as recomendações da ACS, American Cancer Society. Informou também que o médico que não aconselha suas pacientes a fazer o exame pode ser processado, caso a paciente desenvolva câncer da mama. Quando perguntei qual a dose de radiação, ele respondeu erroneamente: “menos do que em uma radiografia do pulmão”.

O fato é que a mamografia expõe a mulher a uma dose de radiação vinte a vinte e cinco vezes superior à radiografia pulmonar simples. A dose varia, dependendo do exame ser feito com um aparelho específico para mamografia ou com aparelho de raios X adaptado para mamografia. Também depende de outros fatores técnicos.

“O órgão do corpo humano mais sensível aos efeitos cancerígenos da radiação é a mama”, diz o Dr. John McDougall, diretor clínico do Hospital Santa Helena, em Deer Park, Califórnia. “É ainda mais sensível do que a medula óssea, o pulmão ou a tireóide”.

Como o dano causado pela radiação é cumulativo, os exames feitos anualmente aumentam o risco de câncer da mama causado pela radiação absorvida.

Outros problemas
Além dos riscos decorrentes da radiação, existem outros problemas. Segundo o Dr. Charles Smart — diretor da Unidade de Diagnóstico Precoce do Instituto Nacional do Câncer — de 10% a 15% dos casos de câncer da mama não são detectados na mamografia.O número de resultados falsos-negativos variava de 11% a 25%, enquanto 30% dos tumores benignos eram detectados como malignos. Os erros só eram descobertos após a biópsia cirúrgica. Houve um aumento considerável do número de biópsias ocasionadas somente pelas mamografias — biópsias que, de outro modo, não seriam feitas. “Para cada biópsia que revela um caso de câncer, são feitas de 5 a 10 que se revelam normais”, escreve o Dr. McDougall. “Não devemos menosprezar os efeitos de ordem emocional e os custos de tantas biópsias negativas”

Será que a mamografia pode salvar a vida?
O câncer da mama tem início quando uma célula sadia se torna maligna. O “tempo de duplicação” médio de uma célula cancerosa é de cem dias. Após cem dias, portanto, temos duas células; após duzentos, quatro células, e assim por diante. Após seis anos, a massa contém um milhão de células. O tumor tem o tamanho de uma ponta de lápis e não pode ser detectado nem por apalpação nem por mamografia. Após 10 anos, o tumor contém um bilhão de células e tem cerca de um centímetro de diâmetro — ele não aparece na mamografia. “É preciso admitir que a mamografia talvez não reduza o coeficiente de mortalidade da mulher, de qualquer idade, por maior que seja a decepção”, escreveu a Drª. M. Maureen Roberts, diretora do Projeto de Exame da Mama, de Edimburgo, Escócia, pouco antes de sua morte por câncer da mama, em 1989.

No entanto, como tantos outros médicos, o Dr. Sherwood Gorbach, professor de saúde comunitária em Boston, recomenda que se procure a detecção precoce sempre que possível: “Se diagnosticamos o câncer mais cedo, as chances de extirparmos um tumor, antes que ele se propague, são maiores.”

Não existe resposta simples para a detecção precoce do câncer da mama. Entretanto, não devemos permitir que questões envolvendo a mamografia distorçam a nossa visão, colocando a ênfase na detecção e não no lugar correto — na prevenção.

Se você tiver algum sintoma de câncer da mama — como nódulo, bico do seio invertido, inchaço com aparência de casca de laranja, ou se as veias superficiais em uma das mamas estiverem mais salientes do que na outra, procure o médico para um exame da mama. Ele, provavelmente, vai recomendar uma mamografia.

Procure um serviço com mamógrafo. Evite aparelhos de raios X que foram adaptados para mamografia.

Procure não marcar a mamografia para a semana antes da menstruação, quando os seios estão mais sensíveis. Durante as duas semanas antes do exame, evite cafeína — café, refrigerantes como Coca-Cola, chocolate, que podem tornar os seios doloridos e nodosos. O exame é um pouco incômodo, pois as mamas são comprimidas entre duas placas. Entretanto, não é dolorido — se doer, avise o radiologista imediatamente. Quando executado por um técnico qualificado, o exame não machuca. Não se mova durante a exposição — o técnico vai lhe pedir para prender a respiração. Qualquer movimento pode estragar a imagem e a radiografia terá que ser repetida.

Mulheres com menos de 30 anos, que apresentem algum problema da mama, podem fazer uma ultra-sonografia, em vez da mamografia. As mamas da mulher jovem são muito densas e a chapa nem sempre é suficientemente clara para fazer um diagnóstico.

Insista em levar a mamografia ou uma cópia, principalmente se for a primeira. Não corra o risco de que seja destruída ou extraviada.
_____
Fonte: East-West Journal, 1991. Diana Hunt é formada em tecnologia radiológica pela Universidade da Califórnia, UCLA, e durante 20 anos realizou exames radiológicos, inclusive mamografias.
É autora de um manual para compra de aparelhos radiológicos e acessórios.
Um caminho mais seguro para detectar
o câncer da mama

O exame de rotina para detectar o câncer da mama é a mamografia, um procedimento que inclui comprimir o seio entre duas placas e fazer uma imagem de raio-x. Entretanto, a mamografia apresenta diversas desvantagens graves. É extremamente imprecisa, principalmente na mulher jovem, pois pode levar a biópsias prejudicais e expor a mulher, desnecessariamente, à radiação que causa câncer.

O que fazer, então?

Faça regularmente um auto-exame e deixe periodicamente uma enfermeira ou um médico capacitados examiná-la. Para encontrar um câncer, esses exames são comprovadamente mais confiáveis do que a mamografia.
Procure um exame por ultra-som — é mais seguro mas não muito mais confiável do que a mamografia.
Opte por termografia, que mede a temperatura da pele, pois o câncer aquece a temperatura da pele adjacente a um tumor, principalmente devido ao maior fluxo de sangue e metabolismo aumentado.
(Can. Med. Assoc.J,1963; 88: 68-70).
A termografia pode detectar um câncer de oito a dez anos antes da mamografia. Em um estudo foi detectado a metade dos casos precoces de câncer, enquanto a mamografia identificou apenas 10% dos casos. A precisão do teste é semelhante ou melhor do que os auto-exames.
(Thomassin L et al., Proceedings of the Third International Congress of Thermology, New York: Plenum Press, 1984: 575-9). (www.thechironclinic.co.uk)

"Haverá mais casos de câncer da mama
provocados pela mamografia, do que mulheres salvas
da morte pela descoberta precoce de lesões"
Dr. John Goffman

sábado, 18 de dezembro de 2010

DESCONHEÇO O AUTOR.

Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta, e ainda não percebemos que a Revolução, uma nova Era já começou!

As pessoas andam um bocado distraídas! Não deram conta que há cerca de 3 meses começou a Revolução! Não! Não me refiro a nenhuma figura de estilo, nem escrevo em sentido figurado! Falo mesmo da Revolução "a sério" e em curso, que estamos a viver, mas da qual andamos distraídos (desprevenidos) e não demos conta do que vai implicar. Mas falo, seguramente, duma Revolução!

De facto, há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses... E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!

... tal como ocorreu noutros períodos da história recente: no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73.

Estamos a viver uma transformação radical, tanto ou mais profunda do que qualquer uma destas! Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta, e ainda não percebemos que a Revolução já começou!

Façamos um rápido balanço da mudança, e do que está a acontecer aos "10 factores":

1º- A Crise Financeira Mundial : desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se "bancarrota") e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo que quer dizer: "emprestado virtualmente à taxa zero") montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas. Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história !...

2º- A Crise do Petróleo : Desde há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!) e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços. Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há 2 semanas a uma subida no preço dos bilhetes de... 50% (leu bem: cinquenta por cento). É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor: basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB) irá virtualmente desaparecer em 12 meses! Acabaram as viagens de avião baratas (...e as férias massivas!), a inflação controlada, etc...

3º- A Contracção da Mobilidade : fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer contracção profunda e as trocas físicas comerciais (que sempre implicam transporte) irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial.

4º- A Imigração : a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de países-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália). Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos! A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e melhor estatuto sócio-económico (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º- A Destruição da Classe Média : quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias (que julgávamos estar apenas a acontecer em Portugal e à custa deste governo) está de facto a "varrer" o Velho Continente! Em Espanha, na Holanda, na Inglaterra ou mesmo em França os problemas das classes médias são comuns e (descontados alguns matizes e diferente gradação) as pessoas estão endividadas, a perder rendimentos, a perder força social e capacidade de intervenção.

6º- A Europa Morreu : embora ainda estejam projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, que já não tem liderança e que já não consegue definir quaisquer objectivos num "caldo" de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!... Já nenhum Cidadão Europeu acredita na "Europa", nem dela espera coisa importante para a sua vida ou o seu futuro! O "Requiem" pela Europa e dos "seus valores" foi chão que deu uvas: deu-se há dias na Irlanda!

7º- A China ao assalto! Contou-me um profissional do sector: a construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios... da China. O gigante asiático vai agora "atacar" o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...). Foram apresentados há dias no mais importante Salão Automóvel mundial os novos carros chineses. Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes (eu já os vi!) e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros! E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...helás! Estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico, financeiro e tecnológico da nossa sociedade. À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças! (Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais).

8º- A Crise do Edifício Social : As sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar! As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...

9º- O Ressurgir da Rússia/Índia : para os menos atentos: a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante! Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!

10º- A Revolução Tecnológica : nos últimos meses o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica) suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos!

Eis pois, a Revolução!

Tal como numa conta de multiplicar, estes dez factores estão ligados por um sinal de "vezes" e, no fim, têm um sinal de "igual". Mas o resultado é ainda desconhecido e... imprevisível. Uma coisa é certa: as nossas vidas vão mudar radicalmente nos próximos 12 meses e as mudanças marcar-nos-ão (permanecerão) nos próximos 10 ou 20 anos, forçando-nos a ter carreiras profissionais instáveis, com muito menos promoções e apoios financeiros, a ter estilos de vida mais modestos, recreativos e ecológicos.

Espera-nos o Novo! Como em todas as Revoluções!

Um conselho final: é importante estar aberto e dentro do Novo, visionando e desfrutando das suas potencialidades! Da Revolução! Ir em frente! Sem medo!

Afinal, depois de cada Revolução, o Mundo sempre mudou para melhor!...

Dr. Robert S. Mendelsohn - A maior ameaça nas doenças da infância são os perigosos e ineficazes esforços para evitá-las

Ao escrever sobre os riscos da vacinação em massa, sei que se trata de um conceito difícil de aceitar. A vacinação tem sido apregoada de forma tão engenhosa e agressiva, que a maioria dos pais acredita ser ela o "milagre" que eliminou muitas das doenças antes temidas. Assim, parece loucura alguém querer opor-se à vacinação. Para um pediatra, atacar o que se tornou o "feijão com arroz" da prática pediátrica é o mesmo que um padre negar a infalibilidade do papa.

Justamente por isso, peço que os leitores mantenham a mente aberta enquanto exponho meu caso. Muito daquilo que as pessoas acreditam a respeito das vacinas simplesmente não é verdade. Eu não só tenho sérias dúvidas sobre a vacinação, como também faria todo o possível para que as pessoas não vacinassem seus filhos. Entretanto, não posso fazer isto, pois, em muitos estados americanos, os pais perderam o direito de fazer tal escolha. Médicos — não políticos — fizeram o bem-sucedido lobby para aprovação da lei que obriga os pais a vacinarem seus filhos como pré-requisito para matriculá-los na escola.

Mesmo em tais estados, porém, os pais podem tentar persuadir seu pediatra a eliminar o componente referente à pertussis (coqueluche) da vacina tríplice (DPT). Esta imunização, que parece ser a mais ameaçadora de todas, gera tantas controvérsias que muitos médicos estão ficando apreensivos quanto à aplicá-la, temendo um processo por imperícia médica, pois em um caso ocorrido em Chicago, uma criança prejudicada pela vacina contra coqueluche recebeu uma indenização de cinco e meio milhões de dólares.

Embora eu mesmo tenha aplicado as vacinas nos meus primeiros anos de prática, me tornei um oponente ferrenho à inoculação em massa por causa dos inúmeros riscos que apresenta. Vou resumir minhas objeções ao zelo fanático com que pediatras injetam cegamente proteínas estranhas no organismo da criança, sem saber que danos podem causar.

Motivos da minha preocupação

1. Não existe prova científica convincente de que a inoculação em massa eliminou alguma doença infantil. Embora seja verdade que a incidência de algumas doenças infantis, antes comuns, tenha diminuído ou desaparecido desce a introdução das inoculações, ninguém sabe por que, embora melhores condições de vida possam ser a causa. Se a vacinação foi responsável pela redução ou desaparecimento dessas doenças nos Estados Unidos, devemos perguntar por que elas desapareceram simultaneamente na Europa, onde não ocorreram vacinações em massa.

2. Acredita-se, de modo geral, que a vacina Salk (injeção que contem o vírus morto) foi responsável por sustar as epidemias de poliomielite que ameaçavam as crianças americanas nas décadas de 40 e 50. Neste caso, por que a epidemia também teve fim na Europa, onde as vacinas contra poliomielite não eram tão empregadas? E, mais importante, por que a vacina Sabin (gotas que contêm o vírus vivo) ainda é administrada, quando o Dr. Jonas Salk, pioneiro da primeira vacina, tem alertado que agora a maioria dos casos de poliomielite é conseqüência da vacina Sabin? Continuar a forçar esta vacina em crianças é um procedimento médico irracional. É uma reprise da relutância dos médicos em abandonar a vacina contra varíola, única causa de óbitos por varíola durante três décadas após sua erradicação.

3. Há riscos graves associados à cada vacinação e numerosas contra-indicações que tornam as vacinas arriscadas para as crianças. Entretanto, os médicos aplicam as vacinas rotineiramente, sem informar os pais sobre os riscos e sem determinar se a vacina é contra-indicada para a criança. Nenhuma criança deveria ser vacinada sem esta determinação. No entanto, formam-se rotineiramente nos postos grandes filas de crianças para serem vacinadas sem que se pergunte nada aos pais!

4. Os inúmeros riscos, a curto prazo, da maioria das vacinas são conhecidos (mas raramente explicados). Ninguém, porém, conhece as conseqüências a longo prazo causadas pela injeção de proteínas estranhas no organismo das crianças. E, o que é ainda mais absurdo, não se faz nenhum esforço para descobrir.

5. Crescem as suspeitas de que a vacinação contra doenças da infância, relativamente inofensivas, sejam responsáveis pelo grande aumento de doenças auto-imunes desde que as inoculações em massa foram introduzidas. São doenças graves, como câncer, leucemia, artrite reumática, esclerose múltipla, esclerose amiotrófica lateral (ALS), lúpus eritomatoso e a síndrome de Guillain-Barré. A doença auto-imune é uma condição em que os mecanismos de defesa do organismo não conseguem distinguir entre invasores estranhos e tecidos normais. Como conseqüência, o organismo começa a se destruir. Teremos trocado caxumba e sarampo por esclerose múltipla e lúpus?
Chamo a atenção para esses aspectos porque é provável que seu pediatra não alertará sobre eles. A amarga controvérsia sobre a vacinação que está se travando na comunidade médica não passou despercebida pelos meios de comunicação. Um número cada vez maior de pais estão deixando de vacinar seus filhos e enfrentando as conseqüências legais. Pais, cujos filhos foram permanentemente lesados por vacinas, não aceitam mais esse fato como destino e estão entrando com processos contra os fabricantes das vacinas e os médicos que as aplicaram. Alguns fabricantes pararam de fabricá-las e outros estão, a cada ano, ampliando a lista de contra-indicações ao seu uso.

Vacinação Agressão ao cérebro e à alma?

Cada doença da infância
provoca um processo de amadurecimento
indispensável à evolução humana

As vacinas não exercitam,
mas atrapalham o sistema imunológico.
Nenhuma vacina oferece proteção

Poucos têm a consciência de que
sempre — após toda vacina —
ocorre uma reação cerebral
que pode provocar danos
de maior ou menor gravidade

É assustador que a reação patológica
pode aparecer, na sua totalidade,
de modo traiçoeiro —
às vezes após anos ou décadas

Se continuarmos vacinando, sem vacilar,
os nossos filhos, netos e bisnetos
pode ocorrer, cedo ou tarde,
uma enorme catástrofe biológica

"Não sei se não cometi um erro terrível
e criei algo monstruoso"
disse Edward Jenner, 1749 a 1823,
o inventor das vacinas

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Feliz Natal a todos os meus amigos . . . mas só para aqueles que gostam de mim , 365 dias por ano ! ! !


As pessoas passam um ano sem se ver , falar , ou sequer procurar ; não sentem necessidade umas das outras ! Se por um acaso se encontram , estão sempre cheias de pressa . . .
As pessoas não se gostam !
A maior parte das pessoas "morreu" no preciso momento em que deveria estar a nascer , ou . . . no dia seguinte !
Será por isso , que chegada esta altura do ano , todas as pessoas se desejam Feliz Natal , mutuamente ? Só podem estar mortas , e por um momento , sentirem necessidade de . . . viver !
Por esta altura , toda a gente "se gosta" ! Dão-se e recebem-se presentes a , e de quem se não gosta !
As pessoas estão mortas , mas todos os anos nascem , nesta "época natalícia" , para uma realidade que detestam , pois se assim não fosse , procurariam manter-se vivos , o máximo de tempo possível ! Mas não ! Morrem . . . no dia seguinte !
O dia 26 é logo a seguir , e era de bom tom que se festejasse esse dia , como o dia da HIPOCRISIA , ou . . . do SUICÍDIO COLECTIVO ! ! !

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Rosário Sarabando , uma das três mulheres da minha vida !


Completa amanhã o 48º aniversário uma das três mulheres da minha vida : tu mesma , ROSÁRIO ! As outras duas são Rosa Branca - a minha mãe , e Luisa - a minha companheira de sempre !
E porquê as três mulheres da minha vida ? Apenas . . . porque sim ! ! !
Quem diria , dez anos atrás , que estarias hoje aqui connosco , a festejar mais um aniversário , priminha ? Quem te deu 3 a 5 anos de vida , não conhecia a tua têmpera , a tua fibra nem a necessidade que a vida tinha de ti . . . sim , porque não és tu quem tem necessidade de viver , mas a vida que precisa de ti ! Se assim não fosse , como poderia um corpo frágil , como esse que te calhou "em sortes" , resistir a "tanto" ?
Assim como o nosso corpo se encarrega de ir eliminando tudo o que lhe é nocivo , tendo para isso , mecanismos próprios , também a natureza da vida vai largando da mão , tudo aquilo que vai deixando de lhe interessar . . .
E sendo assim , aproveitemos da melhor maneira esta necessidade que a vida ainda vai tendo de nós ! E a melhor maneira , é sendo nós próprios , com a nossa condição , a nossa "genuinicidade" , as nossas diferenças !
Se fosse para ser e pensarmos todos da mesma maneira , para que raio é que nasceríamos tão diferentes e . . . sem as mesmas oportunidades ?
Não é preciso que toda a gente goste de nós ! Só precisamos de olhar para o espelho , e . . . gostar daquilo que vemos ! ! !
Neste dia importante (importante , porque é mais um dia em que a vida tem necessidade de ti !) , preciso de te dizer : obrigado priminha , por fazeres parte desta mesma vida , que por enquanto , ainda vai sentindo também . . . necessidade de mim !
Aquele abraço sempre !

P.S. Enquanto a vida quiser , eu vou estar sempre por aqui , tu sabes !

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

5 Lições sobre como tratar as pessoas

1 - Primeira lição importante - Senhora da limpeza


Durante o meu segundo ano no ensino superior, o nosso professor deu-nos um teste.

Eu era um aluno consciente e respondi rapidamente a todas as questões até ler a última:

"Qual é o nome da mulher que faz a limpeza na escola?"

Isto só podia ser uma brincadeira. Eu tinha visto a mulher da limpeza inúmeras vezes.

Ela era alta, cabelo escuro, à volta dos 50 anos, mas como poderia eu saber o nome dela?

Eu entreguei o meu teste, deixando em branco a última questão. Mesmo antes da aula terminar, um dos estudantes perguntou se a última questão contava para nota.

"Absolutamente," respondeu o professor. "Nas vossas carreiras irão encontrar muitas pessoas. Todas são significativas. Elas merecem a vossa atenção e cuidado, mesmo que tudo o que vocês façam seja sorrir e dizer 'olá'."

Nunca esquecerei aquela lição. Também aprendi que o nome da senhora era Dorothy.





2. - Segunda lição importante - Boleia na chuva



Uma noite, pelas 11:30 p.m., uma mulher de origem Africana, estava apeada numa auto-estrada do Alabama, a tentar aguentar uma valente chuva torrencial. O carro dela tinha avariado e ela precisava desesperadamente de uma boleia.

Completamente encharcada, ela decidiu fazer stop ao carro que se aproximava. Um jovem, branco, decidiu ajudá-la, apesar de isto ser uma atitude corajosa naqueles dias de racismo (década de 60). O homem levou-a até um lugar seguro, ajudou-a a resolver a sua situação e arranjou-lhe um táxi.

Ela parecia estar com muita pressa, mas mesmo assim tomou nota da morada do jovem e agradeceu-lhe.

Uma semana mais tarde batiam à porta do jovem. Para sua surpresa, uma televisão enorme era-lhe entregue à porta. Um cartão de agradecimento acompanhava a televisão.

Dizia:

"Muito obrigado por me ajudar na auto-estrada na outra noite. A chuva não só encharcou a minha roupa, como o meu espírito. Foi então que você apareceu. Por causa de si consegui chegar ao meu marido antes de ele falecer. Que Deus o abençoe por me ter ajudado e ter servido outros de maneira tão altruísta.

Com sinceridade, Mrs. Nat King Cole."





3 - Terceira lição importante - Lembra-te sempre daqueles que servem



Nos dias em que um gelado custava muito menos do que hoje, um rapazinho de 10 anos entrou no café de um hotel e sentou-se a uma mesa. Uma empregada de mesa trouxe-lhe um copo de água.

"Quanto custa um gelado de taça?" perguntou o rapazinho.

"Cinquenta cêntimos," respondeu a empregada.

O rapazinho tirou do bolso uma mão cheia de moedas e contou-as.

"Bem, quanto custa um gelado simples?" perguntou ele.

A esta altura já mais pessoas estavam à espera de uma mesa e a empregada começava a ficar impaciente.

"Trinta e cinco cêntimos," respondeu ela com brusquidão.

O rapazinho contou novamente as suas moedas.

"Vou querer o gelado simples." Respondeu ele.

A empregada trouxe o gelado, colocou a conta encima da mesa, recebeu o dinheiro do rapazinho e afastou-se.

O rapazinho terminou o seu gelado e foi-se embora.

Quando a empregada foi levantar a mesa começou a chorar. Em cima da mesa, colocado delicadamente ao lado da conta, estavam 3 moedas de cinco cêntimos...



Não sei se está a ver, ele não podia comer o gelado cremoso porque queria ter dinheiro suficiente para deixar uma gorjeta à empregada.





4 - Quarta lição importante - O obstáculo no nosso caminho



Em tempos antigos, um rei mandou colocar um enorme pedregulho num caminho. Depois escondeu-se e ficou a ver se alguém retirava a enorme pedra. Alguns dos comerciantes mais ricos do Rei passaram e simplesmente se afastaram da pedra, contornando-a. Alguns culpavam em alta voz o Rei por não manter os caminhos limpos. Mas nenhum fez nada para afastar a pedra do caminho.

Apareceu então um camponês, carregando um molho de vegetais. Ao aproximar-se do pedregulho, o camponês colocou o seu fardo no solo e tentou deslocar a pedra para a berma do caminho. Depois de muito empurrar, finalmente conseguiu. O camponês voltou a colocar os vegetais ás costas e só depois reparou num porta-moedas no sitio onde antes estivera a enorme pedra.

O porta-moedas continha muitas moedas de ouro e uma nota a explicar que o ouro era para aquele que retirasse a pedra do caminho. O camponês aprendeu aquilo que muitos de nós nunca compreendem!



Cada obstáculo apresenta uma oportunidade para melhorar a nossa situação.





5 - Quinta lição importante - Dar quando conta



Muitos anos atrás, quando eu trabalhava como voluntário num hospital, conheci uma pequena menina chamada Liz, que sofria de uma doença rara e muito grave. A sua única hipótese de salvamento parecia ser uma transfusão de sangue do irmão mais novo, de cinco anos, que já tinha tido o mesmo problema e sobrevivido milagrosamente, desenvolvendo anticorpos necessários para a combater. O médico explicou-lhe a situação da irmã e perguntou-lhe se ele estaria disponível para dar o seu sangue à sua irmã.

Eu vi-o a hesitar por uns instantes, antes de respirar fundo e dizer "sim, eu faço-o se isso a salvar."

À medida que a transfusão ía correndo, ele mantinha-se deitado ao lado da sua irmã, sorrindo. Todos nós sorríamos, vendo a cor a regressar à face da menina. Foi então que o menino começou a ficar pálido e o seu sorriso a desaparecer.

Ele olhou para o médico e perguntou-lhe, com a voz a tremer, "Será que eu começo a morrer já?".

Sendo muito jovem, o menino não compreendeu o médico; ele pensou que teria que dar todo o seu sangue à irmã para a poder salvar.

A MAIOR LAVANDARIA DE DINHEIRO DO MUNDO AMEAÇA FALIR !*

*Artigo de Gilles Lapouge - Paris. A Suíça estremece. Zurique alarma-se. Os belos bancos, elegantes,silenciosos de Basileia e Berna estão ofegantes. Poderia dizer-se que eles estão assistindo na penumbra a uma morte ou estão velando um moribundo. Esse moribundo, que talvez acabe mesmo morrendo, é o segredo bancário suíço. O ataque veio dos Estados Unidos, em acordo com o presidente Obama. O primeiro tiro de advertência foi dado na quarta-feira. A UBS - União de Bancos Suíços, gigantesca instituição bancária suíça- viu-se obrigada a fornecer os nomes de 250 clientes americanos por ela ajudados para defraudar o fisco. O banco protestou, mas os americanos ameaçaram retirar a sua licença nos Estados Unidos. Os suíços, então, passaram os nomes. E a vida bancária foi retomada,tranquilamente. Mas, no fim da semana, o ataque foi retomado. Desta vez os americanos golpearam forte, exigindo que a UBS forneça o nome dos seus 52.000 clientes titulares de contas ilegais! O banco protestou. A Suíça está temerosa. O partido de extrema-direita, UDC (União Democrática do Centro), que detém um terço das cadeiras no Parlamento Federal, propõe que o segredo bancário seja inscrito e ancorado pela Constituição federal. Mas como resistir? A União de Bancos Suíços não pode perder sua licença nos EUA, pois é nesse país que aufere um terço dos seus benefícios. Um dos pilares da Suíça está sendo sacudido. O segredo bancário suíço não é coisa recente. Esse dogma foi proclamado por uma lei de 1934, embora já existisse desde 1714. No início do século 19, o escritor francês Chateaubriand escreveu que neutros nas grandes revoluções nos Estados que os rodeavam, os suíços enriqueceram à custa da desgraça alheia e fundaram os bancos em cima das calamidades humanas. Acabar com o segredo bancário será uma catástrofe económica. Para Hans Rudolf Merz, presidente da Confederação Helvética, uma falência da União de Bancos Suíços custaria 300 biliões de francos suíços ou 201 milhões de dólares. E não se trata apenas do UBS. Toda a rede bancária do país funciona da mesma maneira. O historiador suíço Jean Ziegler, que há mais de 30 anos denuncia a imoralidade helvética, estima que os banqueiros do país, amparados no segredo bancário, fazem frutificar três triliões de dólares de fortunas privadas estrangeiras, sendo que os activos estrangeiros chamados institucionais, como os fundos de pensão, são nitidamente minoritários. Ziegler acrescenta ainda que se calcula em 27% a parte da Suíça no conjunto dos mercados financeiros offshore" do mundo, bem à frente de Luxemburgo, Caribe ou o extremo Oriente. Na Suíça, um pequeno país de 8 milhões de habitantes, 107 mil pessoas trabalham em bancos. O manejo do dinheiro na Suíça, diz Ziegler, reveste-se de um carácter sacramental. Guardar, recolher, contar, especular e ocultar o dinheiro, são todos actos que se revestem de uma majestade ontológica, que nenhuma palavra deve macular e realizam-se em silêncio e recolhimento... Onde param as fortunas recolhidas pela Alemanha Nazi? Onde estão as fortunas colossais de ditadores como Mobutu do Zaire, Eduardo dos Santos de Angola, dos Barões da droga Colombiana, Papa-Doc do Haiti, de Mugabe do Zimbabwe e da Mafia Russa? Quantos actuais e ex-governantes, presidentes, ministros, reis e outros instalados no poder, até em cargos mais discretos como Presidentes de Municipios têm chorudas contas na Suíça? Quantas ficam eternamente esquecidas na Suíça, congeladas, e quando os titulares das contas morrem ou caem da cadeira do poder, estas tornam-se impossíveis de alcançar pelos legítimos herdeiros ou pelos países que indevidamente espoliaram? Porquê após a morte de Mobutu, os seus filhos nunca conseguiram entrar na Suíça? Tudo lá ficou para sempre e em segredo... A agora surge um outro perigo, depois do duro golpe dos americanos. Na minicúpula europeia que se realizou em Berlim, em preparação ao encontro do G-20 em Londres, França, Alemanha e Inglaterra (o que foi inesperado) chegaram a um acordo no sentido de sancionar os paraísos fiscais. "Precisamos de uma lista daqueles que recusam a cooperação internacional", vociferou a chanceler Angela Merkel. No domingo, o encarregado do departamento do Tesouro britânico,Alistair Darling, apelou aos suíços para se ajustarem às leis fiscais e bancárias europeias. Vale observar, contudo, que a Suíça não foi convidada para participar do G-20 de Londres, quando serão debatidas as sanções a serem adoptadas contra os paraísos fiscais. Há muito tempo se deseja o fim do segredo bancário. Mas até agora, em razão da prosperidade económica mundial, todas as tentativas eram abortadas. Hoje, estamos em crise. Viva a crise!!! Barack Obama, quando era senador, denunciou com perseverança a imoralidade desses remansos de paz para o dinheiro corrompido. Hoje ele é presidente. É preciso acrescentar que os Estados Unidos têm muitos defeitos, mas a fraude fiscal sempre foi considerada um dos crimes mais graves no país. Nos anos 30, os americanos conseguiram laçar Al Capone. Sob que pretexto? Fraude fiscal. Para muito breve, a queda do império financeiro suiço!
Personalize funny videos and birthday eCards at JibJab!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Evolução da medicina

Robin Cook

Desde 1966 , quando me formei em medicina , ouvi falar com tanta frequência da "crise na medicina" que me lembro da história do jovem pastor mentiroso . Você deve conhecer . Ele tantas vezes gritou "Lobo!" que ninguém mais prestava atenção . No entanto , até agora , as crises eram sempre anunciadas por grupos de interesse específico e , frequentemente , contraditórias : falta de leitos hospitalares , excesso de leitos ; falta de médicos , excesso de médicos . Todos ficavam confusos e indiferentes .

Hoje , porém , acredito que a "crise na medicina" é uma realidade . Infelizmente , tantas pessoas gritaram "Lobo!" no passado , que os meios de comunicação estão apenas começando a registar esta crise . Testemunhamos a gradativa - cada vez mais acelerada - intromissão de interesses comerciais na prática da medicina . É preciso compreender que a mentalidade empresarial , voltada a lucros e perdas , é frontalmente oposta às atitudes de altruísmo que formavam os alicerces da profissão médica . Essa dicotomia faz pressentir efeitos catastróficos sobre a base moral e ética da medicina . As mentes voltadas a grandes negócios vêem o campo da medicina como investimento altamente lucrativo , de baixo risco .

Essa mudança de rumo da medicina , em direcção aos interesse comerciais , reflete-se nas cadeias de hospitais particulares e sanatórios , nos fornecedores de suprimentos médicos e numa infinidade das mais diversas instituições para tratamento médico . Até a pesquisa se voltou para os negócios , como comprovam os laboratórios de biotecnologia .

Apesar do efeito traiçoeiro dessa evolução sobre a prática da medicina , a reacção é muito tímida . As publicações médicas têm encarado o processo com estranho desinteresse . Os médicos aderem à mentalidade empresarial ou ignoram-na . O público não se manifesta e os mídia só recentemente começaram a publicar artigos soando o alarme .

Tomei consciência da intrusão do comércio na medicina através da carta que recebi de um hospital . Na carta , a direcção do hospital informava-me que a taxa de ocupação estava baixa e que eu deveria internar mais pacientes para cirurgia - como se eu tivesse um stock de doentes a quem recusasse uma cirurgia necessária . Mais do que qualquer outro factor , essa carta fez-me compreender como o nosso sistema de medicina foi inadvertidamente organizado de modo a depender da super utilização de instalações e serviços e recompensá-la . Dessa forma , o sistema provoca o seu próprio aumento de custo . Não é de estranhar que os empresários se tenham interessado tanto .

A indústria farmacêutica é o mais antigo ramo de negócio ligado à medicina . A sua influência é muito grande . Entretanto , é bom lembrar que as indústrias farmacêuticas são empresas . Elas não visam o bem do público , por mais que procurem convencer-nos do contrário . O seu objectivo é obter retorno para o capital dos investidores .

O interesse comercial das indústrias farmacêuticas é confirmado pelas somas incríveis (biliões de dólares por ano) gastas na promoção dos seus produtos . Procuram , principalmente , influenciar o médico que , infelizmente , é uma presa bastante fácil . São poucos os médicos que nunca aceitaram um presente ou um favor de alguma indústria farmacêutica . Tenho até hoje a maleta preta que recebi quando cursava o terceiro ano de medicina e também já participei de vários simpósios patrocinados por indústrias farmacêuticas . Hoje em dia elas empregam mais recursos em promoções e publicidade do que em pesquisas ! Na verdade , os gastos promocionais são maiores do que o total de recursos gastos no treinamento dos alunos em todas as faculdades de medicina dos Estados Unidos .

Não seria justo insinuar que a indústria farmacêutica não contribuiu para o bem-estar da sociedade . No entanto , essa contribuição é apenas um sub-produto e não o verdadeiro objectivo . Existem também casos em que o bem-estar público foi completamente ignorado . Basta mencionar o desastre causado pela Talidomida ou a calamidade do DES (Diethylstilbestrol) , para perceber que interesses comerciais podem ter consequências lamentáveis .

As indústrias farmacêuticas têm comercializado produtos sabendo que poderiam ser perigosos ou ineficazes , ou ambos , visando somente o lucro .

A medicina está mudando . O relacionamento médico-paciente , antigamente a coisa mais importante , está cedendo lugar a interesses económicos e comerciais . O público tem o direito e a obrigação de saber que tipo de sistema de saúde se está desenvolvendo .